Análise do Audi R8 e sua versão 4.2 FSI quattro vendida no país


11 de fevereiro de 2010|3 Comentários


Sempre que podemos divulgamos trabalhos de pessoas que se dedicam a escrever e comentar sobre o mercado automotivo. Eis abaixo a análise rápida veiculada pelo Blog BSB Car Design recém chegado ao mercado.

Trata-se do Audi R8, carro que deu uma mexida nos termos de design de superesportivos. Um cupê muito bonito, com um projeto bem inovador.

Pela frente, vemos esses faróis bem alongados, que possuem Leds,  de série. São modernos e diferentes do padrão Audi. Elementos bem interessantes são essas grades que ficam juntas à eles. Muito belas mesmo. Essa grade da frente é o ponto de maior destaque do carro. Tem o formato perfeito e o logo da Audi em cima deu um toque de mestre no design.

Indo para a lateral, podemos perceber uma faixa pintada que fica sob uma grande entrada de ar. Os espelhos retrovisores são  muito futurísticos também.

Atrás, as lanternas maravilhosas que a  Audi fabricou ficaram perfeitas com as duas grades que se assemelham às da frente. Um pequeno spoiler para ajudar o desempenho do carro e dois escapamentos de dupla ponteira que ficaram excelentes com o conjunto das lanternas e grades.

Um carro muito bonito que sai do óbvio de muitos superesportivos, que é apenas ter potência bruta.

Sabemos que ele já aporta em Terras Brasileiras com valores que começam em R$ 555.000,00, segundo o site oficial da Audi.

Neste caso trata-se do modelo Motor 4.2 FSI quattro:

O motor central V8 e a tração permanente quattro formam coração e alma do Audi R8 4.2 quattro. Sua posição centralizada confere ao modelo uma perfeita distribuição do peso. O resultado: ótima agilidade e dirigibilidade.

O motor V8, situado atrás da cabine dos passageiros, combinado com a tração permanente quattro®Vorsprung durch Technik: a tecnologia quattro® significa tração permanente nas quatro rodas que distribui a força motriz entre a frente e a traseira do veículo. A tração em cada um dos eixos requer menos potência com handling balanceado.

A vantagem: mais tração na aceleração e mais segurança graças à uma excepcional aderência, mesmo em condições em que um carro com tração nas duas rodas perderia a estabilidade.quattro , forma o coração e alma do R8. Posicionado entre os eixos, ele é o elemento cental do veículo. A primeira conseqüência dessa posição é uma excelente distribuição de peso. Além disso, o conceito de lubrificação por cárter seco possibilitou um centro de gravidade mais baixo. Resultado: dirigibilidade ágl e superior com ótima tração, mesmo em curvas de alta velocidade. A instalação deste motor em uma janela em forma de cristal permite que se admire, mesmo de fora do veículo, a precisão técnina desse vigoroso motor.

Com 4.2 litros de capacidade e tecnologia FSIFSIA Audi foi o primeiro fabricante do mundo a combinar injeção direta de combustível com turbocharging na produção de carros em grande escala. A história de sucesso do TFSI 2.0 começou no verão de 2004 quando foi lançado no Audi A3 Spostback.FSI , o motor V8 libera nada menos que 426 cavalos de potência. Com isso, leva o Audi R8 a 100 km/h em impressionantes 4,6 segundos. Nesse processo, gira até 8.250 rpm. O torque máximo de 430 Nm garante uma propulsão de tirar o fôlego. A velocidade maxima é de 301 km/h.

Confira a fera R8 em vídeo com a versão conversível spyder:

Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

 

Participe da pesquisa e concorra à 04 camisetas oficiais do Contagiros.

Veja os Depoimentos desse Artigo.

3 comentários sobre “Análise do Audi R8 e sua versão 4.2 FSI quattro vendida no país”

  1. jhgallardo disse:

    Amigo, valeu aí ela força! Estou muito agradecido mesmo, meu blog está começando e eu estava antes um pouco carente de pessoas, mas agora… Muito obrigado mesmo! Eu não esperava que você fosse por em um post mesmo. Aliás, belo post o seu!
    Especialmente o R8, que é um dos carros que eu mais admiro. Parabéns pelo blog, que exprime um trabalho realmente sério, de qualidade e eficiente.
    jhgallardo

  2. jhgallardo disse:

    Respondendo ao seu comentário (que eu não tinha visto antes) muito obrigado pelos elogios e você está livre para utilizar qualquer post meu quando quiser.
    jhgallardo

  3. [...] mais caro é o superesportivo R8 Spyder, conversível que acelera de 0 a 100 km em 4,1 segundos, atinge velocidade máxima de 313 km/h e [...]

Deixe um Comentário

*