Palio Weekend elétrica é apresentada – Valor de R$145.000 ainda assusta


08 de julho de 2009|Sem Comentários

palio_weekend_eletrica

O repórter Alberto Cataldi da Revista Autoesporte andou na Pálio Weekend elétrica e comenta abaixo na matéria quais foram sua impressões:

Basta girar um ponto com a chave no Palio Weekend Elétrico para ele acionar seu motor. Mas parece que não faz diferença alguma. Não é possível ouvir qualquer som familiar de um carro ligado. Até mesmo a vibração do volante, tão natural, não existe neste projeto desenvolvido pela Fiat em parceria com a Itaipu Binacional e a suíça KWO. Na verdade, só depois de pisar no acelerador é que o carro finalmente convence que já está ligado.

Estas são apenas algumas das diferenças que saltam para quem dirige o veículo elétrico pela primeira vez, como fez a reportagem da Autoesporte em um percurso de cerca de 20 km dentro da usina hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu. O carro aponta para uma mudança total nos hábitos de dirigir e, o que na teoria parece algo complicado, na prática se mostra uma tecnologia acessível e muito amigável.

lhando de fora, apenas os adesivos entregam a propulsão elétrica da perua da linha Palio. Mas não se trata apenas de uma Weekend comum com motor trocado. “O carro é preparado para receber todo o sistema elétrico. Isso exige muitas modificações”, aponta Leonardo Cavaliere, Diretor de Inovações da Fiat. O modelo foi escolhido pelo seu espaço para bagagem, ideal para receber a bateria. Logicamente, todo o sistema de combustão do carro foi removido. Do original, sobram apenas o alternador e a bateria (utilizada para os equipamentos do carro, como rádio, luzes, etc). Alterações nos sistemas de freios e amortecimento também são necessárias, para adaptar o carro às alterações de peso (a versão elétrica é 50 kg mais pesada que a comum).

Com autonomia para 120 km, o Palio Weekend Elétrico leva cerca de oito horas para ser totalmente recarregado em uma tomada comum (tensão de 235 V). Com o preço atual do kw/h no Brasil, é possível “encher a bateria” com apenas R$ 6,50. Feita de Sódio-Níquel-Cloro (sais que não agridem a natureza), a peça não conta com efeito memória, portanto precisa ficar plugada na tomada para não descarregar quando o carro está parado.

Toda a supervisão do sistema pode ser feita em um indicador no painel central. Ele mostra instantaneamente quanto o carro está consumindo, a carga restante e a temperatuda da bateria. Como o carro conta com sistema de recuperação de energia (o KERS utilizado na Fórmula 1), o mostrador também informa quanto do calor dissipado com as frenagens é utilizado para recarregar a própria bateria. Embora sistemas de informações instantâneas já existam em modelos a combustão, eles não contam com a precisão de um veículo elétrico.

O Weekend Elétrico responde devagar na saída, mas essa lentidão dura pouco. Depois de alguns metros, o silencioso motor entra em funcionamento para valer, então a sensação é quase a mesma de um carro a combustão comum. Quase, pois a impressão é a de estar andando em um veículo em ponto morto. Segundo a Fiat, o modelo é capaz de acelerar de 0 a 60 km/h em 9 segundos. E a curva de aceleração é boa. Durante a avaliação, foi possível até fazer ultrapassagens sem muito esforço. Sua velocidade máxima é de 100 km/h – o suficiente para uso urbano, ainda mais levando em conta que sua autonomia não é ideal para viagens longas.

No lugar do câmbio tradicional há uma alavanca similar à de um carro automático, mas com apenas três opções: neutro, drive e ré. Basta um leve empurrão para fazer a seleção.

Toda essa inovação, porém, está longe de chegar às garagens comuns. Atualmente o Weekend Elétrico é fabricado apenas para as empresas que participam da parceria de seu desenvolvimento e roda em locais fechados, como na hidrelétrica de Itaupu e na fábrica da Fiat em Betim. A estrutura do modelo é montada em Minas Gerais, então enviada para Foz do Iguaçu, onde recebe a bateria e motorização importadas da Suíça. No final, a conta do preço do carro fecha em torno de R$ 145 mil.

O pacote elétrico custa cerca de 22 mil euros (R$ 60 mil reais), mas há também o salgado adicional tributário. Apesar de suas vantagens ambientais, o Palio Weekend Elétrico se enquadra na categoria de veículos especiais, o que o obriga a pagar 25% de seu valor em IPI. “Ainda é um projeto inviável para o público comum. Falta incentivo do governo para iniciativas como esta”, declara Roberto.

Enquanto a tecnologia não se torna acessível, as empresas seguem investindo. É o caso da Petrobrás, que criou o Eletroposto na Barra da Tijuca (RJ). Trata-se do primeiro posto de abastecimento fotovoltáico do país. Ele utiliza placas de energia solar para gerar 184 volts de corrente contínua para suas tomadas de 110v ou 220v. O lugar é utilizado para abastecer motos elétricas e alguns dos poucos carros que circulam pela cidade. E futuramente, quem sabe, o seu Palio Weekend Elétrico.

Veja a Ficha Técnica:  

Fiat Palio Weekend Elétrico
Preço R$ 145 mil (venda limitada)
Motor Dianteiro, elétrico adíncrono trifase
Bateria Sódio-Níquel-Cloro
Tempo de recarga 8 horas
Autonomia 120 km
Potência Nominal, 15 Kw (20 cv); máxima, 28 Kw (37 cv)
Torque  Nominal, 5,1 kgfm; máximo, 12,6 kgfm 
Câmbio  Drive, Neutro e ré
Suspensão  McPherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores transversais, com barra estabilizadora na frente; Rodas independentes, braços oscilantes inferiores longitudinais com barra estabilizadora atrás
Freios Disco maciço com pinça flutuante na dianteira e tambor com sapata autocentrante e regulagem automática de jogo na traseira 
Pneus  205/70 R15 
Direção  Mecânica
Dimensões Comprimento: 4,237 m; largura: 1,639 m; altura: 1,504 m; entre-eixos: 2,437 m  

Fonte: Revista Autoesporte
Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

 

Participe da pesquisa e concorra à 04 camisetas oficiais do Contagiros.

Outros Artigos que você deveria ver!