A História do Chevette e Galeria de fotos


13 de junho de 2009|27 Comentários

chevettejunior
Me lembro do Chevette com um certo saudosismo de quando meu primo me chamava para rodar cavalo de pau com o carro mais famoso para esse tipo de peripécia. Tudo bem, falando isso hoje pode parecer um absurdo, mas a 15 anos atrás me parecia uma mera brincadeira de molecada que queria impressionar a turma e domar seu possante, mesmo que ele não fosse seu exatamente…

O sedãzinho de 4,12 metros de comprimento foi lançado no Brasil em abril de 1973 (cinco anos depois do Opala), há 35 anos, como um projeto mundial, o chamado T-Car, que teve versões na Austrália (Holden Gemini), Japão (Isuzu Gemini), Alemanha, Inglaterra (Vauxhall) e Estados Unidos. Destes dois últimos países veio o nome Chevette. Os norte-americanos também tiveram uma versão da Pontiac chamada T-1000.

O Chevette brasileiro era igual ao modelo alemão, fabricado pela Opel, chamado de Kadett (duas gerações antes do nosso conhecido). Era um três volumes de duas portas, com espaço razoável para quatro ocupantes, bom porta-malas e motor 1.4 de 68 cavalos de potência bruta. Tinha grade horizontal e faróis redondos. O tanque de combustível posicionado atrás do banco traseiro deixava o bocal na coluna traseira direita. A tampa inclinada com estrias horizontais tornou-se a sua marca registrada. No lado esquerdo havia uma tampa falsa para entrada de ar.

Eleito Carro do Ano em 1974, o Chevette agradou a classe média, que naqueles anos 70 queria um carro compacto, um pouco luxuoso e confortável para sair do Fusca. Mas o modelo dividia a atenção do mercado com outros fortes concorrentes recém-lançados, como a Brasília, da Volkswagen, e o 1800 da Dodge (futuro Polara), além do levemente reestilizado Corcel. Em 1975 foi lançada a versão de acabamento SL e os apaixonados por velocidade ganharam a versão esportiva GP (de Grand Prix, para promover o GP do Brasil da época), com bancos altos e faixas decorativas. Dois anos depois, aparecia o GPII. Para torná-lo mais acessível, surgiu o Chevette Especial, sem calotas.

Em 1978 o Chevette ganhou a sua primeira reestilização frontal, inspirada no modelo norte-americano: o capô envolvia a grade dividida em duas. Os faróis permaneceram circulares, mas foram abrigados em capelas. Por dentro, um painel remodelado. No ano seguinte a linha começava a crescer com os modelos quatro portas e o hatch. Era lançada também a série especial Jeans, com o revestimento dos bancos e lateral das portas em brim azul. Em 1980 os faróis passaram a ser quadrados, como no modelo inglês, as lanternas aumentaram de tamanho e se tornaram envolventes até a lateral (eram planas na traseira), o motor 1.4 ganhou opção a álcool (com 1 cavalo a mais) e surgiu a perua Marajó. O motor 1.6 ganha uma prévia na versão esportiva S/R, exclusiva do hatch e com carburador de corpo duplo (76 cavalos). A Ouro Preto, com carroceria que podia ser preta com detalhes dourados ou vice-versa, foi outra série especial. Foi bicampeão do Carro do Ano da Autoesporte em 1981. No ano seguinte ganhou câmbio de cinco marchas opcional.

Para 1983, o Chevette ganhou a sua reestilização mais profunda. O estilo ficou mais brasileiro, com frente em cunha e traseira reta. O interior também foi renovado. O painel ficou maior. No entanto, o meio da carroceria foi mantido. Por isso, o espaço interno, que era razoável, não mudou. Todas as versões foram modernizadas: o sedã, o hatch e a Marajó. O motor 1.6 virou padrão para toda a linha (mas o carburador virou simples, passando a render entre 72 e 73 cavalos, respectivamente o movido a gasolina e o a álcool). Em 1985 ganhou câmbio automático de três marchas como opcional. No ano anterior nascia a picape Chevy 500.

A linha 87 o deixou mais luxuoso com uma nova grade, novos revestimentos, novos bancos dianteiros com encosto de cabeça regulável (enorme) e pino de trava mais moderno. Surgia a versão SE, depois rebatizada de SL/E. O motor 1.6 ganhava corpo duplo novamente e aumentava a potência para 81 cavalos em 1988, passando a se chamar 1.6/S.

O modelo quatro portas, o hatch e a perua viraram passado entre 1987 e 1989. O primeiro saiu de linha porque o brasileiro não gostava de carros do tipo. Como o Voyage, foi destinado para exportação e fez muito sucesso na Colômbia. Já os dois últimos precisaram abrir espaço para o Kadett e a Ipanema, que nada mais eram do que a evolução do próprio Chevette original de 1973.

Voltando ao Chevette, o sedã teve as versões unidas na única opção DL em 1991. O encosto de cabeça do banco dianteiro passou a ser vazado, em 92, para melhorar a visibilidade. Isso era um novo padrão de toda a linha Chevrolet. Até o Opala.

No ano seguinte, para concorrer com o fenômeno Uno Mille da Fiat, surgiu a versão Júnior para receber o motor 1.0. Em 1993, entrou na onda dos populares isentos de impostos com o L, que voltava a ser o único da linha. Como o então Presidente da República, Itamar Franco, incluiu o seu renascido Fusca 1.6 na isenção do IPI, a GM viu que a cilindrada baixa não era necessária e o deixou com o motor 1.6.

No dia 12 de novembro de 1993, após vinte anos de sucesso e 1 milhão, 630 mil unidades produzidas, o Chevette finalmente encerrava a sua trajetória. A sua picape Chevy 500 ainda durou mais dois anos. Seu espírito de desempenho e praticidade ainda está presente nos seus descendentes Corsa, Celta, Prisma (sucessores de mercado), Astra e Vectra (suas evoluções).

Que vá com Deus!

 

Participe da pesquisa e concorra à 04 camisetas oficiais do Contagiros.

Veja os Depoimentos desse Artigo.

27 comentários sobre “A História do Chevette e Galeria de fotos”

  1. Ribamar Gomes disse:

    Pronto a história do chevette

  2. isabel cardoso dos santos disse:

    tenho loucura por chevette,mas o meu coração bate acelerado quando vejo um prata.que amor é esse se nem tenho nemhum,acho que na outra vida eu devo ter morrido dentro de um,porque não tem explicação por essa paixao.um dia vou ter um.

  3. isabel cardoso dos santos disse:

    queria que o fabricasse de novo do mesmo estilo.

  4. Aroldo disse:

    A GM DEVIA VENDER UMA SERIE DE CHEVETTE TUBARAO(1974),COM A MECANICA DO CLASSIC ,TIPO MODELO RETRO COMEMORATIVA DA GM NO BRASIL.MAIS OU MENOS QUE NEM O PT CRUISER DA CRYSLER.

  5. luizhenrique disse:

    eu tenhu um chevette junio quatro porta amarelo eu estou aprocura de outro,por que ate hoje nao vi nenhum so o meu.

  6. daniel rodrigo disse:

    ja tive 4 chevete e estou indo para o quinto uma joia rara do ano 89 em breve eu mostro a vcs

  7. hugo gil disse:

    Já tive 4 chevette 2 1978 ,1 1975 ,1 1974 quero aruma as calotas do 74 nao arumo de jeito nem um sou loco por chevette na minha garagem tem 2 ainda o 74 e um 78 o 78 eu estou reformando o 74 só fauta as rodas !
    galera do chevette add no orkut [email protected]

  8. gustavo disse:

    o chevete tubarao tunado e daora

  9. Adalberto Santos disse:

    Desde criança sou apaixonado por Chevette, não sei como começou essa paixão. Estou prestes a comprar meu primeiro chevette, vou reforma-lo todinho assim que comcluir a obra mostrarei vcs.

  10. JR MELO disse:

    Eu sempre fui apaixonado por chevette. tenho um 92 DL 2 dono. Tive um pesadelo vendendo ele e acordei apavorado. rsrsrsrs

  11. andre rodrigues disse:

    sou louco por chevetera tenho um 85/86 e naõ vendo por nada

  12. David Catalão-Go disse:

    Realizei meu sonho…
    Ter um chevette como meu Primeiro carro.. modelo 81
    Ja vou começar a tunar ele , quero deixá-lo como na foto acima ^^^^^^ do chevette rosa… só que amarelo^^
    ja ja posto uma foto dele

  13. mancha disse:

    eu só queria que a GM tivesse no mercado um novo CHEVETTE agressivo tração traseira (muito importante) motor 2.0 injeção flex e tudo mais. Mais tenho um 93 que não vendo por nada minha paixão.. amo demais ele

  14. clayton disse:

    Bem que a gm poderia fazer um chevetao bem furioso tipo um cup ou bem tunadao.

  15. everton disse:

    realisei o meu sonho comprei o meu primeiro carro um chevette preto ano 1988 eu estou restaurando ele nao vendo por dinheiro nenhun galera do chevette add eu ai [email protected]

  16. wellington disse:

    tenho um chete quero vender ele e´91 prata rdas de liga leve motor 1.6 dl gasolina enterasedo contatar 041 91-36-74-13

  17. Fernande disse:

    Ola galera tenho o sonho de possuir um camaro mais e muito caro entao começei a gostar do chevett tambem acho q a gm deveria ter deichado o clasic um minicamaro com o nome de chevett venderia ate mais que o gol . um chevett amarelo com listas pretas e muito massa galera em breve “galera do chevett”.

  18. jefferson alves disse:

    ola galera atualmente tenho chevett 90 se lindo ja tive uma marajó 88 era show gosto muito desses tipos de carro as pessoas não entendem pq gostamos de carro velho +eu falo pra eles o carro e antigo + não e velho opnião minha e da minha equipe a GM tinha q vim com um modelo novo imagina como seria…….. um luxo rs ay cheveteiros um grande abraço e parabens pelo carro de tds vcs

    equipe ZERO GRAU zona oeste rio de janeiro

    o lugar que + tem chevette no mundoo

  19. ismael disse:

    tenho um chevete 88 em otimo estado,rodas 15 bino líndas, e troco por um uno 94 95 ou gol quadrado!

  20. Daniel dos santos disse:

    ai galera..ja estou n meu segundo chevette.tive um sl 88 que era muinto bom e fiz a besteira de vendelo e dar de entrada em um gol special 2001 que me foi furtado 4 messes apos..perdi meu investimento mas fato é que todos os carros que ja possui o chevette é o melhor na maioria dos quesitos.as pessoas nao entendem esse fenomeno da paixao por um carro que nao se fabrica a quase uma decada mas no meu caso é pura logica..veja..o chevette de qualquer ano,bem conservado anda mais macio que muintos veiculos novos ou semi novos.o exemplo é a linha fiat da familha uno.com exessao do ultimo modelo,andar de uno é um disconforto notavel..é duro igual um cabrito.a supenssao é forte e duravel alem do conforto.a mecanica é simples de facil manutençao.qualquer loja de esquina tem peças.dificel ver um chevette enguiçado pela rua.vejo carro novinho até com plastico no banco enguiçado e chevette detonado,amarrado com arame rodando de boa ehehe.se o dono tem algum conhecimento de mecanica que é meu caso troca correia dentada,limpa o carburador troca velas,concerta a eletrica etc..enfim acredito que tao cedo avera um projeto de carro tao perfeito e duravel igual o chevas e ainda veremos por ai rodando por muintos anos.hoje tenho um chevette 87 se apos sefrer dois anos com uma elba 87 mudei da agua pro vinho.só troco esse por outro mais novo.

  21. rodrigo disse:

    Amigos,voces tem toda razao,chevette eh carro de verdade,em todos os quesitos e tem um detalhe que eh o melhor,traçao traseira. Para quem gosta de pilotar de verdade sabe que eh muito mais gostoso e emocionante traçao traseira. Grande abraço aos apaixonados por chevette como eu sou.

  22. mael disse:

    ae galera eu tenho um tubarão 1977 todo original e tenho enteresse de vender quem quiser de suas propostas ele é beje motor 1.4 original

  23. Gilberto Nascimento disse:

    E muito legal ver essas fotos e registros postados por quem gosta de chevette parabens

  24. stone disse:

    tenho um 88,meu primeiro carro ,comprei de um coroa,o cheveetinho e todo original,manual de instruçao original,nota fiscal de fabrica(mesbla veiculos),de cor azul iguaçu,por onde passo todos olham,me parabenizam,so conseguirei uma fama assim so de camaro,carro um pouco barulhento e tambem devagar,mas poucos carros no mundo trnsmitem essa senssaçao de ter um cheveet,tambem acontece com os donos de opala,parabens a chevrolet que produziam e produzem carros com respeito,carros muito bons,ase o cheveetinho voltasse,certamente seria febre.Valeu!!!!!

  25. aguinaldo disse:

    E o safado do meu cunhado ia lá em casa namorar com a minha irmã e o filho da puta tinha um chevette branco 82 zero desde pequeno fiquei incucado, amaldiçoado/abençoado pela aquele carro fusca nunca gostei, brasilia tambem não e quando pude comprar o carro o dilema chevette 82 só bege cor de geledareira já faz quatro anos de alegrias e tristezas más a parte boa e quando baixo uma terceira e pinduro nos 100km os os bacana aquie de BH com com carro 1000 passa mal e assim por mais uns 10 anos enquanto a lata aguentar porque o motor já entrou em coma e ressusitei o mesmo que agora vai rodar com 1Kg e quando fica caladinho que um pirigo.

Deixe um Comentário

*